Os textos publicados nesse blog tem por base a opinião do escritor e textos e imagens relacionados encontrados na internet.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Curiosidade - É proibido andar no corredor?

Nas grandes cidades, como São Paulo, é comum ver os motociclistas circularem pelos espaços entre os carros, os famosos corredores de trânsito, muitos dizem que isso é proibido, outros que não, mas a final, é ou não é proibido andar no corredor de moto?


O que rege as regras de circulação de veículos, inclusive as motocicletas é o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), havia nele antigamente o artigo 56, que proibia expressamente as motos de circularem nos corredores formados pelos carros, mas esse artigo foi vetado na gestão do então presidente Fernando Henrique Cardoso, desde então não é mais proibido circular de moto nos corredores.

Outros projetos de lei já apareceram para fazer valer novamente o artigo 56 do CTB, mas nenhum deles entrou em vigor, mesmo porque, imaginem o caótico trânsito de São Paulo com as motos circulando como carros, uma atrás da outra, seria o dobro de trânsito, no mínimo, ou seja, algo impossível de aceitar. Não é só isso, imagine você pedindo uma pizza num sábado de noite, e ela chegar depois de duas horas porque o motociclista pegou trânsito, complicado né?

A saída criada para melhorar a condição em lugares mais movimentados e apertados foi a criação de motofaixas, que servem para transito exclusivo de motocicletas, elas funcionam como o corredor de ônibus, nesses locais, as motocicletas devem transitar dentro da faixa, exceto quando precisarem sair para entrar em ruas paralelas, um exemplo dessa motofaixa é a que foi criada na rua Vergueiro, na zona sul de São Paulo.


E as mudanças de faixa no meio do trânsito? Muitos motoristas ficam bravos quando vão mudar de faixa e não conseguem porque há motos passando no corredor, o que fazer? Esse é o mesmo caso de quando você está em uma rua e vai entrar em uma avenida movimentada e de fluxo rápido, como a marginal, você espera por um momento seguro para entrar sem causar acidente, ou quando um motorista te dá passagem, a mudança de faixa é a mesma coisa, trata-se de um bom senso do motorista de esperar as motos passarem, e também do motociclista de dar a passagem quando possível. Acreditem, tem motociclistas que dão passagem sim para os carros mudarem de faixa, eu mesmo faço isso, quando possível é claro, não adianta esperar que um motociclista pare o corredor em plena expressa da marginal para alguém passar.

Posts relacionados:
É proibido andar com a viseira aberta?
Criança na garupa, só a partir dos 7 anos
No corredor, olhe para frente!!!
Ventos laterais e frontais, como reagir?

É isso aí pessoal, fica mais uma curiosidade a favor do bom senso no trânsito.

Boa leitura,

Palavras chave:
Moto - corredor - lei de trânsito - moto-faixa

10 comentários:

  1. Eu acho que as faixas de rolagem foram feitas para que os veículos trafeguem. As linhas, não! E o corredor são as linhas de divisão de uma faixa de rolagem. E, quando um carro precisa virar à esquerda ou à direita, conseguiu que o motorista do lado o deixasse passar na frente, ou que haja um brecha suficiente para que essa passagem seja feita com segurança, não consegue, porque vem um motociclista por cima da linha de divisão da faixa e não te deixa passar, pois geralmente vêm acima da velocidade e não dão passagem. Você acaba perdendo uma rara chance de ir para a faixa que você pretende. E ainda pode ficar sem o seu retrovisor. O que é mais perigoso para o motociclista: andar na faixa de rolagem com segurança ou se arriscar a ser fechado por um carro que está executando seu direito de mudar de faixa? Também tem outra coisa: todo carro tem um ponto cego e os motociclistas sabem disso. Tem hora que eles passam no ponto cego do carro e não conseguimos vê-los. Acho que o FHC deixou uma herança maldita para o trânsito brasileiro e, principalmente, para os motociclistas, pois, por causa dessa atitude insana, muitos perderam a vida.

    ResponderExcluir
  2. Olá José. Muito obrigado pelo comentário.
    Quando falamos de trânsito, muito mais importante que as leis de trânsito é a cordialidade dos motoristas. Eu também dirijo carro e sei exatamente o que se passa quando mudamos de faixa com o carro. Sem dúvida há motociclistas que não dão passagem e que acham ruim você exercer seu direito de mudar de faixa. Por outro lado, andando de moto vejo também o outro lado da moeda, sempre que possível dou passagem sim, e já vi muitos outros motociclistas fazerem isso também. Lógico que sempre há os que não são cordiais e por isso envergonham a classe de motociclistas. Nunca podemos generalizar, uma cidade como São Paulo, hoje. Sem os "corredores" acarretaria em um transito no minimo duas vezes maior. Isso significaria um atraso enorme em diversos serviços feitos por motoboys e pelos próprios bombeiros e polícia, que utilizam do artifício dos corredores para chegar mais rápido a um acidente, por exemplo. De moto digo que andar atrás de um carro é mais perigoso justamente porque um dos pontos cegos da moto está no veículo a frente. Se um carro freia bruscamente a moto nao consegue acompanhar a frenagem e depende da agildade para desviar.
    Uma atitude insana depende do condutor, um condutor prudente de moto evita situações de risco, assim como um condutor de carro imprudente pode gerar situações de risco. É como mencionei acima. Não se pode generalizar. Esse foi um dos motivos de eu ter criado o blog, para que possamos compartilhar idéias que ajudem na convivência no trânsito. E graças aos leitores e seus comentários podemos tentar ajudar a fazer um transito melhor. Obrigado pelo comentário e sinta-se a vontade para comentar sempre. Grande abraço,

    ResponderExcluir
  3. A lei bem interpretada deixa muito claro que é proibido sim este dito 'corredor':

    Art. 29-IX a ultrapassagem de outro veículo em movimento deverá ser feita pela esquerda, obedecida à sinalização regulamentar e as demais normas estabelecidas neste Código, exceto quando o veículo a ser ultrapassado estiver sinalizando o propósito de entrar à esquerda;
    Art. 177 Dirigir ameaçando os pedestres que estejam atravessando a via pública, ou os demais veículos.
    Art. 188 Transitar ao lado de outro veículo, interrompendo ou perturbando o trânsito.
    Art. 192 Deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo.

    E não precisaria a lei dizer que isto é proibido, pois é perigoso demais... só ocorre porque nossa polícia é conivente demais... o bom senso já vetaria está imprudência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos os artigos levam a interpretação de quem aplica a lei, pois como está na própria lei "considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo". Nota-se que tal lei implica inclusive aos carros, caminhões, ônibus e qualquer outro veículo que trafegue nas vias públicas. Um carro que passa por um bicicleta a menos de 1,5m de distância lateral está cometendo tal imprudência, se for seguir à risca, assim como o motorista de carro que dirije "colado" no carro da frente também comete tal imprudência, digo mais uma vez, imprudência, impaciência, agressividade, dentre tantas outras características de maus condutores não estão relacionados ao veículo, mas sim a quem conduz, se a pessoa não tem respeito pelo próximo, pode estar digirindo um carro, uma moto, um caminhão ou uma motocicleta, a atitude de quem conduz é que causa ou previne acidentes.

      Concordo com o sr. quando diz que nossa polícia é conivente, pois muitas infrações de trânsito são deixadas de lado pela nossa fiscalização, inclusive no que diz respeito a conduzir perigosamente (carros e motos) e estado de conservação dos veículos, particularmente vejo muitas motos e carros com pneus carecas, sem os itens básicos de segurança e etc. Isso também causa acidente e é deixado de lado na fiscalização.

      Numa cidade como São Paulo ou qualquer outra capital super lotada, onde diversos tipos de veículos trafegam na mesma via e dividem o mesmo espaço, é preciso criar uma conscientização em todos para que carros, motos, bicicletas e outros veículos deixem de ser concorrentes no trânsito.

      Obrigado pelo comentário José, Abraço!

      Excluir
  4. Quem aqui nunca cometeu uma imprudência!?

    ResponderExcluir
  5. Olá a todos,

    Me incluo no rol dos motoristas, pois dirijo automóveis a mais de 34 anos, já motos dirijo apenas a 6 anos.

    Colocando-me no lugar de cada um deles vejo o problema de forma mais ampla, no carro temos o problema da mobilidade e de grande trânsito, cada vez maior, o que nos faz perder por vezes a paciência e desta forma muitas vezes trocarmos de faixa sem razão real, apenas por acharmos que a faixa do lado esta andando mais, o que na enorme maioria das vezes não é real, muitos motoristas ficam trocando de faixa, muitas vezes sem dar setas, apenas para terem a sensação de estarem indo mais rápido. Se focarmos em trocar de faixa apenas por motivos reais, como carros quebrados ou acidentes na nossa faixa, ou porque realmente precisamos entrar em alguma rua logo a frente em muito se minimizaria os graves acidentes entre motos e carros, onde é claro o motociclista leva sempre a pior, correndo risco de vida.

    As motos tem apenas duas vantagens, a econômica, por gastar bem menos combustível, o que acaba sendo ecológico, e a de tempo, por ter maior mobilidade e andar nos ditos corredores, creio que quanto a andar nos corredores com os carros parados e a uma velocidade reduzida não haveria problemas e ajuda em muito o trânsito, a questão esta em difundir uma cultura tanto para os motoristas quanto para os motoqueiros de como proceder e ter os devidos cuidados no trânsito para diminuir acidentes, muitos dos quais fatais.

    As vantagens das motos nos quesitos acima se diluem quanto a segurança, conforto, e risco de vida, enquanto um motorista de automóvel esta resguardado de chuva, frio, sol e calor, esta sentado confortavelmente e pode ouvir uma musiquinha e notícias para ajudar a descontrair em relação ao trânsito o motociclista esta sujeito as chuvas, frio, equilíbrio constante, e frenagem sempre com risco de queda em caso de emergência, pois sobre duas rodas frear é muito diferente que em um carro.

    Essas diferenças muitas vezes nem passam pela cabeça dos motoristas de automóveis dentro do conforto de seus carros e de seu estresse em chegar rapidamente a seu destino, criando uma competição entre carros e motos, onde os motociclistas sempre saem perdendo, inclusive com suas vidas.

    Atenção constante e a simplicidade de criar o hábito de se dar seta com antecedência mesmo diminuiriam em muito os acidentes, além é claro do motorista de automóveis também criarem o hábito de deixarem livres o máximo possível os ditos corredores de motos, que são uma realidade independente de qualquer lei, desta forma evitando arranhões em seus carros, espelhos quebrados, acidentes e principalmente poupando vidas humanas.


    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo Ricardo. Nós que temos experiência dos dois lados entendemos as diferenças, de ambos os lados são precisos cuidados para proteger a vida do outro. As motos nos corredores são uma realidade, assim como as bicicletas, carroceiros e etc. É preciso se adaptar a cidade em que se vive.
      A competição entre carros e motos só vai acabar no dia que tivermos respeito dos dois lados. Muitos dizem que isso é uma espécie de utopia, mas não custa tentarmos melhoras as condições do trânsito com atitudes legais.
      Grande abraço e boa sorte parceiro.

      Excluir
  6. Parabéns Ricardo e João, é bem isso que vocês mencionaram. Só acho que os motoristas deviam ter mais atenção quando dirigem. Quando você esta de moto, é só você é a moto, e ainda mais atenção pelo perigo de acidente. Já no carro, você tem muita distração, é msg que chega no celular, a criança que chora no banco de traz ou o batom no porta luvas. Acabam esquecendo de usar a seta e o retrovisor.
    Outro problema que acontece, muito semelhante aos caminhões, é em relação as empresas. Pelo menos 60% das motos que estão na rua é para entregas. E muitas vezes a empresa exige muito do motociclista para cumprir prazos, e aqueles autônomos quanto mais entregas mais ele vai ganhar. Fazendo se arriscar no transito.
    O importante é ter respeito, hoje você esta de moto amanha vai estar de carro.. e o mesmo acontece com quem anda de carro.
    Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Augusto. Realmente a sensação de segurança que o carro proporciona acaba levando a gente a ter menos atenção no trânsito, além é claro da mobilidade reduzida de um carro em relação a moto, por isso resta a nós motociclistas estar 100% atentos no trânsito. Grande Abraço!

      Excluir
    2. Obrigado pelo comentário Augusto. Sem dúvida a falsa sensação de segurança que nos traz o carro nos deixa um pouco desatentos ao trânsito, a mobilidade reduzida do carro em relação a motocicleta também gera maiores riscos ao motociclista, nos resta tomar cuidado e ter 100% de atenção no trânsito, pois muitas vezes precisamos dirigir mais pelos outros do que por sí mesmo como diz minha mãe rsrs. Grande Abraço!

      Excluir